segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

2046 - Os Segredos do Amor


Afinal, o que é 2046? Um ano? Um lugar? O Paraíso? Um quarto de hotel? Um trem? Uma cidade? Um livro? Uma esperança? Uma memória? Um passado? Uma recordação? O fim da autonomia de Hong Kong? A possibilidade de reaver os melhores momentos vividos? O encontro de um grande amor? Ou seria apenas um número?

2046 é a terceira parte da pseudo-trilogia de Wong Kar-Wai, que começou em 1991 com Dias de Loucuras, passou pela obra-prima Amor à Flor da Pele de 2000 e se encerra aqui, no ano de 2004, onde o liganção entre os filmes ocorre pelo simples fato de se ambientarem em um mesmo universo e compartilhar entre si personagens e eventos, não sendo necessário ter assistido às obras anteriores para uma melhor comprrensão do que se vê.

2046 é a evolução de Amor à Flor da Pele, no ponto em que todos os elementos que caracterizam o tom onírico daquele filme (trilha sonora melancólica e repetitiva, fotografia de cores fortes e contrastes marcantes, montagem se utilizando da câmera lenta para reforçar a sentimentalidade do momento), porém, pode ser considerado um retrocesso se avaliado a partir do roteiro, que vêm com uma ousadia um tanto quanto diferente, mas que atrapalha no desenvolvimento do caráter psicológico das personagens, ficando muito abaixo do amor resignado que permeia a obra anterior.

2046 é o não-linear posto em ordem cronológica, a partir de uma história que pode ser dividida em quatro partes perfeitamente distintas, que são divididas, cada uma delas, em pedaços menores, embaralhados e lançados à tela, com um toque de edição que as faz transcorrer tal qual o tempo (ou uma linha de trem), seguindo sempre em frente, sem nunca retornar (exceto quando é distorcido pela saudade).

2046 é Chow Mo-Wan (Tony Leung Chiu Wai) tentando se esquecer de Su Li-Zhen (Maggie Cheung), sendo que para isso acaba por conhecer ou reencontrar diversas outras mulheres e até mesmo uma outra Su Li-Zhen (Gong Li).

2046 é o livro que Chow Mo-Wan escreve, sobre um lugar chamado 2046 onde apenas se chega por meio de um trem que viaja através do espaço e do tempo e para o qual as pessoas vão para relembrar de seu passado, visto quem em 2046 nada nunca muda, muito embora elas não saibam com certeza se isso é verdade, pois ninguém jamais retornou de lá.

2046 é a grande metáfora da vida, onde tudo que lá é dito, pode ser interpretado como uma àlusão à vida aqui fora, como por exemplo quando o trem passa entre os pontos 1224 e 1225, cujo frio intenso ali presente obriga os passageiros a se abraçarem para manter o calor (sendo numeros esses, coordenadas para datas do ano), podendo extender essa interpretação para o ponto de se afirmar que 2046 é uma metáfora de 2046.

2046 não é o melhor filme de Wong Kar-Wai, posto esse ocupado possivelmente por Amores Expressos, Felizes Juntos, ou até mesmo pelo próprio Amor à Flor da Pele, mas isso não impede que ele seja o mais empolgante de seus filmes.

2 comentários:

yulofeud disse...

Couldnt agree more with that, very attractive article

aroma essential oils

ceheomsk disse...

My cousin recommended this blog and she was totally right keep up the fantastic work!

order cialis