segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Crítica: Minha Luta


O documentário "Minha Luta" foi dirigido por Erwin Leiser no ano de 1961. Tinha muitas expectativas sobre esse filme. Expectativas que se acentuaram com o brilhante prólogo:

"Cada cena desse filme é autêntica. Mesmo sendo inacreditável ao ser mostrado, tudo aconteceu no nosso tempo. Essa terrível experiência do homem na Terra está gravada na consciência das pessoas. A Polônia foi quem mais sofreu com a ocupação nazista, e foi escolhida para ilustrar a agressão de Hitler à Europa. A agonia da Polônia, entretanto, foi em maior grau, mas não em gênero. O que você vai ver aconteceu em todo lugar onde pairou a sombra do nazismo - repetidas vezes, até que 25 milhões de vidas foram consumidas. A 'História do Inferno de Hitler na Terra' é dedicada às vítimas, por causa da culpa. Como seres humanos, somos responsáveis pelo que ele fez - pois ele era um de nós e permitimos que isso acontecesse. Espero que sejamos sábios e fortes o suficiente para impedir que isso se repita."

Mas, ao término do filme, fica-se com a sensação de que ele poderia ter sido muito melhor. O documentário procura mostrar uma história do nazismo, passando pela infância de Hitler, como ele chegou ao poder, e todos os horrores praticados em nome do nazismo. A narração é esclarecedora, embora não muito profunda.

Todas as cenas são autênticas, e algumas não estão em perfeito estado de conservação. Muitas das cenas, no entanto, já foram vistas em documentários anteriores de Leni Riefenstahl. Visto hoje, acho que é um filme que completa outro documentário sobre o assunto: "O Triunfo da Vontade", o qual fiz uma crítica a pouco tempo aqui no blog.

A primeira metade do filme é dedicada a mostrar a ascensão de Hitler ao poder, e a segunda metade nos mostra os horrores do nazismo, e apresenta as imagens mais chocantes, inclusive de corpos de judeus.

Assim como "O Triunfo da Vontade" e "Dia da Liberdade", o valor histórico é impressionante. Agora, enquanto cinema mesmo, não chega a acrescentar muito, até porque, visto hoje, a maioria das imagens já foram vistas por muitas pessoas em outros filmes e especiais sobre o tema na TV. Na época do seu lançamento pode até ter causado mais furor, mas hoje em dia vale mais como curiosidade do que pelo seu valor cinematográfico propriamento dito.

Minha Luta. (Mein Kampf, Alemanha/Suécia, 1961). Direção: Erwin Leiser. Narração: Claude Stephenson. Duração: 115 minutos.

Um comentário:

Nelson L. Rodrigues disse...

A blogosfera nos reserva agradáveis surpresas. Conhecemos pessoas através de seus textos, entramos em contato para trocar ideias sobre interesses em comum, e um vínculo intelectual nasce.

Dessa observação sobe troca de conhecimento temático entre blogs, o FILOCINÉTICA e o CINEBULIÇÃO, nos unimos para criar um reconhecimento aos críticos e divulgadores da cultura cinematográfica. Nossa proposta, é premiar com o SELO INGMAR BERGMAN, bimestralmente, três blogs selecionados, que em nossa opinião e na opinião de nossos convidados para essa análise, trazem uma significativa contribuição para a crítica, reflexão ou divulgação da Sétima Arte.