quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Artesãos da Fotografia IX

Georges Périnal (1897 - 1965)



Nascido em Paris, fixou-se em Londres na década de 30. Poucos talvez guardem hoje a imagem daquelas crianças que querem desmontar um brinquedo ou um rádio para saber como ele funciona(esquecemo-nos facilmente dessa época em que imaginávamos poder desbravar todos os segredos). Foi essa curiosidade pelos dispositivos mecânicos que atraiu esse diretor ao Cinema. Como? Atraído pela mecânica dos projetores, queria entender como elas tiravam fotos, imortalizavam o que era retratado. E assim começou a verificar que poderia alterar o resultado com pequenos truques e engenhosidade. E iniciou uma parceria com Jean Grémillon com quem realizou uma série de documentários até despertar a atenção de Jean Cocteau. E assim o mecânico projetista, quando se deu conta, tornou-se um Poeta da Luz (A partir de Sangue de um Poeta – 1933). Chamado a Inglaterra por Alexander Korda , construiu a carreira que ficou marcada na Sétima Arte. Foi duas vezes indicado ao Oscar: As Quatro Plumas (Zoltan Korda – 1939) e por “O Ladrão de Bagdá (Michael Powell, Tim Whelan e Ludwig Berger – 1940)



                                           Sangue de um Poeta (Jean Cocteau – 1930)


                                                Sob os tetos de Paris (René Clair – 1930)


                                         A Nós a Liberdade (René Clair – 1931)


                                       Os Amores de Henrique VIII (Alexander Korda – 1933) 

                                          I, Claudius (Josef von Sternberg - 1937)


                                              As Quatro Plumas (Zoltan Korda – 1939)

                                         O Ladrão de Bagdá (Ludwig Berger, Michael Powell, Tim Whelan – 1940) 

                                       Coronel Blimp - Vida e Morte (Michael Powell, Emeric Pressburger – 1943)


                                         O Ídolo Caído (Carol Reed - 1948)


                                         Um Rei em Nova Iorque ( Chaplin – 1957)


                                                 Joana D’Arc (Otto Preminger – 1957)


                                    O Pequeno Polegar (George Pal – 1958)


                                          Bom dia Tristeza (Otto Preminger – 1958)


                                          Oscar Wilder (Gregory Ratoff – 1960)


                                        Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse ( Vincente Minnelli – 1962)



Nenhum comentário: