segunda-feira, 8 de julho de 2013

Artesãos da Fotografia - I

Geralmente quando nos dedicamos a falar de cinema acabamos por exaltar sempre o trabalho da Direção e a performance do elenco. Jaz esquecido assim atrás das câmeras inúmeros outros artesãos, aos quais só nos damos conta, geralmente na cerimônia do Oscar e demais festivais. Pretendo aqui iniciar alguns artigos lembrando parte desses artistas que tanto contribuem na feitura desses filmes que tanto amamos.




Joseph B. Walker (1892-1985)





Praticamente esquecido pelas gerações de hoje, possui trabalhos maravilhosos. Infelizmente poucos terão o prazer de notar a grandiosidade do trabalho desse artífice em sua totalidade. As imagens prateadas captadas através de seu talento como iluminador e fotógrafo são conhecidas (quando são) de forma indigna através de um encolhimento em vídeo ou na TV. Quem puder ver seu trabalho em 35 mm verá do que falo: a impressionante cena do palheiro com a iluminação enluarada em “Aconteceu naquela noite” ou o pomposo funeral de “Horizonte Perdido”, para ficarmos em dois exemplos . Seu trabalho era tão bom que foi lembrado algumas vezes pela academia, tendo tido ao longo de sua carreira 4 indicações ao Oscar: Do mundo nada se leva (1938), Paraíso Infernal (1939), Que espere o céu (1941) e Sonhos Dourados (1945).


Principais trabalhos:

                                                   Paraíso Infernal  (Howard Hawks – 1939)


                                                      A mulher faz o homem (Capra – 1939)


                                                  Sonhos Dourados (Alfred Green -1945)


                                                        A Dama de Shangai (Welles – 1946)


                                                           A Felicidade não se compra (Capra – 1946)


                                                     Que espere o céu (Alexander Hall – 1941)


                                                                    Nascida Ontem (Cukor – 1950)


                                               Cupido é moleque teimoso (Leo McCarey - 1937)


                                                           Dama por um dia (Capra - 1933)


                                                           Horizonte Perdido (Capra - 1937)


                                                      Do mundo nada se leva (Capra - 1938)


                                                       Aconteceu naquela noite (Capra - 1934)



Escrito por Conde Fouá Anderaos

Um comentário:

Jefferson C. Vendrame disse...

ótimo Post e ótima homenagem a este grande artista. Os filmes de Capra sempre foram muito bem fotografados, e parte desse grande trabalho é fruto de Walker.
Grande Abraço!