sábado, 19 de março de 2011

Não me abandone jamais


Dirigido por Mark Romanek (Retratos de uma obsessão), esse filme inglês, lançado em 2010 é baseado em um livro de Kazuo Ishiguro, livro esse considerado pela revista Time o melhor da última década.

Kathy (Carey Mulligan), Tommy (Andrew Garfield) e Ruth (Keira Knightley) cresceram na mesma escola, onde passaram toda sua infância, sem ao menos poder passar da cerca. Os alunos ouviam sempre histórias terríveis do que acontecia com pessoas que saiam dos limites da escola. Nesse local as crianças são trabalhadas pelos professores para o destino que lhes espera.

A obra se passa em três momentos diferentes entre o fim dos anos 50 e a década de 80: A infância de Kathy, Tommy e Ruth na escola, sendo interpretados por crianças; Os acontecimentos logo após a saída da escola, mais precisamente em uma fazenda (quando os três ainda estavam juntos), e o momento de onde o filme é narrado por Kathy, então com 28 anos e que se tornou uma “cuidadora”.

Aqui devo dizer que não posso revelar o “tema” do filme. Isso por que a grande “revelação” de Não me abandone jamais é o próprio tema. Ao assistir o trailer ou a ler uma sinopse bem escrita não percebemos exatamente do que se trata essa obra. Dessa forma o expectador é pego de surpresa com o assunto em questão (que por acaso também não é explicitado no filme), mas é percebido naturalmente.

Para não estragar a surpresa, o que posso dizer é que Não me abandone jamais é daqueles que filmes que quando termina ficamos nos fazendo alguns questionamentos, como “Qual o motivo de nossa existência”, “Como seria se já tivéssemos um destino traçado, e não pudéssemos fazer nada para mudá-lo” e “Até onde a humanidade pode chegar para preservar a vida humana”. Eu diria que é um filme bem filosófico e poético, que traz mais perguntas do que respostas, beirando a ficção científica.

O filme foca os sentimentos e atitudes humanas, e usa de forma sutil as cores e a trilha sonora tornando o clima melancólico. Como pano de fundo temos uma espécie de triângulo amoroso entre os protagonistas, que alias, foram muito bem interpretados. Carey Mulligan se consolida como a grande revelação dos últimos anos com mais essa ótima atuação. Keira Knightley deixou de ser a protagonista de sucessos de bilheteria para interpretar um personagem coadjuvante em um filme de baixo orçamento, e mais uma vez provou ser uma grande atriz. Já Andrew Garfield teve um ótimo 2010, com duas excelentes atuações (A Rede Social e Não me abandone jamais) e injustamente não foi indicado ao Oscar por nenhuma.

Com grande elenco e com uma proposta tão interessante Não me abandone jamais foi certamente um dos 10 melhores filmes de 2010 (e por isso deveria ter sido indicado ao Oscar de melhor filme). Não deixe de assistir.



2 comentários:

Cine Mosaico disse...

Quero muito ver esse filme. Uma pena que na minha cidade existam poucas opções de sala para ele. Fiquei curioso pela revelação do tema e o elenco também me chamou atenção.

:: João Linno ::

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Gostei, Leonardo. A atuação de Carey Mulligan é excelente.

www.ofalcaomaltes.blogspot.com