sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Crítica: Dia da Liberdade


O filme "Dia da Liberdade" é um documentário dirigido por Leni Riefenstahl em 1935. A exemplo do filme "O Triunfo da Vontade", trata-se também de um filme-propaganda do regime nazista.

O foco, aqui, é mostrar o exército alemão. Dado como perdido no final da Segunda Guerra Mundial, o filme foi reencontrado, incompleto, na década de 1970.

A exemplo de "O Triunfo da Vontade", não há narração ligando as imagens, que tratam, aqui, da simulação de uma batalha pelas tropas alemãs durante as cerimônias do Dia das Forças Armadas da Alemanha, em 1935, na cidade de Nuremberg.

Aeronaves, soldados, a infantaria, todos estão ali para fazer a encenação da batalha. Durante a cerimônia, é registrada também a primeira aparição do novo tanque de guerra alemão, que é apresentado a Hitler e a uma multidão de pessoas. A melhor cena é guardada para o final, mostrando aviões fazendo a suástica nazista em pleno vôo.

O filme, assim como "O Triunfo da Vontade", tem muito mais valor histórico do que artístico, sendo recomendado muito mais a historiadores e a quem se dedica a estudar a história nazista. Mas não deixa de ser fascinante ver as imagens da época que retratavam o movimento. E, como toda propaganda política, imagens que enalteciam o movimento.

Dia da Liberdade. (Tag der Freihit: Unsere Wehrmacht, Alemanha, 1935). Direção: Leni Riefenstahl. Duração original: 39 minutos. Duração da versão encontrada e conservada: 16 minutos.

Nenhum comentário: