quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

A Morte do Stalinismo na Boêmia


Primeiro trabalho de Svankmajer após a queda do comunismo na Europa Oriental, ele se utiliza desse momento histórico para traçar um panorama da história tchecoslovaca pós-Segunda Guerra, algo semelhante com o que Tomek Baginski viria a fazer 20 anos depois com a história da Polônia. Contudo, ao contrário do filme polonês, esse exemplar aqui se utiliza de críticas ácidas que em alguns momentos chegam a beirar o humor negro para demonstrar o sofrimento de um povo durante anos difícies segundo o autor.

O curta cobre mais específicamente 41 anos da história daquele país, desde a ocupação soviética de 1948 até a Revolução de Veludo em 1989, tudo isso feito sob as mais brilhantes metáforas, tais quais o busto de Stálin sendo aberto e de dentro desse saindo um segundo busto com a efígie de Klement Gottwald, primeiro-ministro da Tchecoslováquia e posteriormente presidente da mesma, tal qual em um parto, construíndo dessa forma uma ponte entre as duas figuras, e a cena em que rolos de macarrão descem as ruas esmagando todo o lixo em seu caminho, traçando uma àlusão aos tanques soviéticos que tomaram as ruas da capital tchecoslovaca durante a Primavera de Praga, em 1968.

Svankmajer chega ao extremo de sua crítica ao instaurar a dúvida se sua mensagem é positiva ou negativa. As referências à Stálin podem tanto simbolizar a liberdade do socialismo utópico atingindo a Tchecoslováquia quanto a opressão de um regime ditatorial. Outro exemplo dessa ambiguidade é o uso de imagens sexuais (leia-se pornografia) do século XVIII em montagem paralela com imagens da população tcheca em momentos de alegria, que pode tanto ser uma sátira/crítica à essa "alegria" quanto uma ilustração de até que ponto a liberdade do povo pode chegar. Mas essa não é uma ambiguidade ruim, ela apenas abre a possibilidade de que se interprete o filme a partir de sua própria visão de mundo.

Usando recortes de revistas, imagens de arquivo, fotos de líderes, tomadas em live-action e stop-motion com massa de modelar, Svankmajer cria um quebra-cabeça surreal, mas ainda consegue de modo brilhante fazer um trabalho histórico sobre seu país. Aqui, sua crítica política constante chega ao seu ápice de uma maneira muito boa.

Um comentário: