segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Curta-Metragem de Animação - Oscar 1932

Todo mundo adora os Curtas de Animação. Embora seja a mais democrática das categorias do Oscar, por indicar e premiar produções sem distinção de nacionalidade e por ter boa parte de seus títulos disponíveis gratuitamente no youtube até mesmo antes da premiação, é uma das menos populares, com muitas pessoas até mesmo desconhecendo o mercado de curta-metragens animados ou conhecendo muito pouco. Para difundir mais tal categoria, pretendo aqui lançar análises curtas de, num primeiro momento, todos os indicados na categoria, em todos os anos. Claro que alguns desses títulos são mais raros e certamente não estarão disponíveis na rede. Nesses casos, ao invés de uma ligeira resenha, fica uma breve sinopse e algumas outras coisas que eu encontrar sobre o mesmo.

A categoria de Curta-Metragem de Animação surgiu somente na quinta edição do Oscar, realizada em 1932 sob o nome de Short Subjects (Cartoons). Naquele ano já se iniciava a hegemonia de Walt Disney na categoria, coisa que perduraria por um longo tempo. Mas vale ressaltar que Walt Disney não dirigia seus filmes. Todas as suas indicações foram como produtor. E essas indicações não foram poucas. Apenas nesse ano foram duas, que viriam a se juntar às outras 57 indicações que ele viria a receber. Nesse ano também ele recebeu sua primeira estatueta. Primeira das 22 que ele ganhou em sua carreira. Com três indicados na categoria na época, a terceira indicação acabou ficando com a Warner Bros. E os indicados acompanhados de suas respectivas resenhas seguem abaixo:


Flores e Árvores

Lançado a 30 de julho de 1932 pela United Artists logo antes de Mentiras da Vida com Clark Gable e Norma Shearer no Grauman's Chinese Theater, Flowers and Trees foi não somente o primeiro curta-metragem animado a vencer o Oscar como também a primeira produção inteiramente feita a cores a ser distribuída comercialmente. Inicialmente o filme deveria ser feito em preto-e-branco, mas após Disney ver os testes de Herbert Calmus no recém-criado sistema Technicolor, ele decidiu que Flowers and Trees seria uma perfeita primeira experiência no formato. Esse curta é um legítimo exemplar da série Silly Simphony, uma série de 75 curtas que durou de 1929 a 1939, sendo esse o exemplar de número 29. A partir de então, todos os Silly Simphonies lançados posteriormente mantiveram o esquema a cores.

O enredo é totalmente simples, a primavera começa em um bosque com os pássaros a cantar, as flores a desabrochar e os cogumelos a crescer. Nesse cenário paradisíaco, uma "árvore-macho" se apaixona e conquista uma "árvore-fêmea", porém, uma terceira árvore, de aspecto petrificado, acaba por invejar tal relação e se opõe aos dois. Em uma briga entre as árvores, a floresta acaba entrando em chamas e pássaros e flores começam a combater o incêndio. A simplicidade da trama é compensada por uma beleza ilídica com que a história é contada, em um ambiente irreal, mas de um esplendor estonteante. Como em quase todas as histórias da Disney, o maniqueísmo aqui é tão forte que chega a ser quase que incômodo, e também há um requinte de sadismo, típico do entre-guerras, que faria com que certas passagens, nos dias atuais, seriam vistas com maus olhos e tornariam o filme uma vítima da dita "classificação indicativa", como nos momentos em que a árvore antagonista, após uma queda, aparenta ter morrido e toca-se uma marcha fúnebre ao fundo, ou então quando ela realmente morre e os abutres passam a rondar seu cadáver. Coisas desse tipo, que eram recorrentes nos curtas da época, hoje iriam causar um impacto negativo naqueles mais, digamos, "conservadores?".


Mickey's Orphans

Primeiro curta da série estrelada por Mickey a ser indicado ao Oscar conta a história (em preto-e-branco) de uma noite de natal em que Mickey, dublado pelo próprio Walt Disney, Minnie e Pluto encontram na porta de sua casa uma cesta, deixada por uma velha senhora, na qual encontram-se alguns gatinhos órfãos. Dezenas deles, na realidade. A simplicidade aqui é evidente, seja no roteiro comum, seja nas técnicas de redução de custo, usadas por Disney e que futuramente também seriam utilizados nos desenhos da Hanna-Barbera, sobretudo nos da série Jambo e Ruivão, que são a reutilização de cenários e a repetição de quadros. Para tanto, basta fazer os personagens em paralelo aos cenários e posteriormente sobrepôr-los e utilizar bastante de movimentos repetitivos, onde uma mesma sequencia de frames pode ser reutilizada várias vezes. Embora não pareça, isso represent uma economia grande, que em um curta de 7 minutos, pode chegar a 25% da obra. Também há o mesmo estilo de sincronia entre ação e trilha sonora de O Vapor Willie, o primeiro trabalho sonoro da Disney. Mickey's Orphans, ou Os Órfãos de Mickey, é um daqueles típicos curtas que você devia costumar assistir quando criança nas manhãs de domingo, só que com o diferencial de ele ser preto-e-branco.


It's Got me Again

Pra encerrar os indicados, nada mais justo que um curta da clássica Merrie Melodies. Nessa história também totalmente simples que rendeu uma indicação ao Oscar para Leon Schlensinger, produtor que viria a receber outras 5 indicações para o prêmio. Aqui, a história fala sobre uma casa, onde 15 minutos após a meia-noite, os ratos saem de suas tocas e começam a baderna, até despertarem a atenção de um gato, que investe contra eles, mas que termina sendo expulso da casa a tiros de agulha de toca-discos e a queimaduras com um maçarico, mais uma vez a crueldade do entre-guerras reinando. Com um estilo quase que idêntico ao da Disney, esse curta lembra em muitos aspectos, e muito provavelmente o influenciou, os desenhos de Tom e Jerry, seja pelos personagens, seja pelos requintes de sadismo. Feito inteiramente em preto-e-branco e lançado a 13 de Maio de 1932, seu título se deve à canção homônima de Bernice Petkere e Irving Caesar que toca no início do curta.

Um comentário:

Leonardo disse...

Faz pouco tempo que passei a procurar para assistir curtas de animação. Ainda tenho que correr ates desses mais antigos. Por enquanto fora os da pixar que eu vi quase todos foram poucos que eu vi. Mas certamente vou procurar.