sexta-feira, 8 de outubro de 2010

LA BELLE PERSONNE ( A BELA JUNIE )


La Belle Personne é uma produção francesa inspirada no romance La Princesse de Cléves’, de Madame de La Fayette. O filme narra à história da adolescente Junie que muda para a casa do primo como forma de fugir da depressão causada pela morte da mãe. A jovem passa a estudar no colégio do primo, Mathias. Lá ela conhece os amigos dele e começa a despertar encantamento devido seu aspecto reservado e por sua beleza. Otto, uns dos companheiros de Mathias e o mais tímido, apaixona pela bela jovem. Com ajuda de Mathias, ele começa um relacionamento com Junie. Porém, ambos são diferentes, o que causa um namoro insípido alimentando somente por Otto.



Além de Otto, Junie desperta paixão em Nemours, seu professor de italiano e música. Nemours é um homem sedutor apaixonado por todas as mulheres, independente de serem suas colegas de trabalhos ou alunas. Encanta-se por Junie logo que a ver, contudo a jovem provoca um sentimento diferente nele, que está acostumado a envolve-se com as mulheres apenas por conquista. Porém, ela com seu comportamento bipolar, resiste ao charme do professor apesar de amá-lo desde o princípio. É nesse triangulo amoroso entre Junie, Otto e Nemours que o filme desenrola-se. La Belle Personne é um filme romântico francês com as mais variadas situações de tristeza, sofrimento e amor, na qual no final contém cenas inesperadas para brasileiros que estão acostumados com os filmes americanos.



O objetivo da produção é mostrar as paixões conturbadas da adolescência, fase da vida marcada por acontecimentos e escolhas que acompanharão até o fim da vida. A obra cinematográfica contém as músicas do cantor e compositor inglês Nick Drake, músicas que combinam perfeitamente com o filme e que foram colocadas brilhantemente em cada cena.



O filme é dirigido pelo francês Christophe Honoré e estrelado por Léa Seydoux, Louis Garrel e Grégoire Leprince-Ringuet. Atores bem escolhidos para os papéis principais por Honoré devido suas belezas incomparáveis que prendem o espectador.



2 comentários:

Gabriel Lima disse...

Muito boa, a crítica.
Procurarei assistir com certeza.
Abraços!

Stephanie C. de Mello disse...

Assisti por acaso, no Tele Cine Cult
Muito bom. Um dos melhores filmes de drama que já assisti. Gostei porque o final não é óbvio.. Aliás, o filme todo não é.